SITE DO BLOG SOBRIEDADE

AUTO-CONHECIMENTO! BURACO DAS DROGAS! vixiiiiiiiii

AUTO-CONHECIMENTO! BURACO DAS DROGAS! vixiiiiiiiii

 

BOA NOITE GALERINHA DO BEM! 20 DE MAIO DE 2.017!

Resultado de imagemResultado de imagem

Hoje, como não poderia ser diferente, é dia de estar limpo! dia de não fazer uso de substâncias que alterem nosso humor, que alterem nosso modo de pensar e raciocinar.

QUEM TÁ LIMPO AE LEVANTA A MÃO!

O que? ce tá limpo? ueeeeeeeee! então isso é motivo de celebração.

 

 

 

VOCÊ PRECISA DE ALGUÉM, QUE TE DÊ SEGURANÇA, SENÃO VOCÊ DANÇA, SENÃO VOCÊ DANÇA..........

 

 

 

 

VOCÊ SABE O QUE É A GAGUEIRA? 

A gagueira é alteração no ritmo da fala. Geralmente esta inicia-se na infância por volta de 2 á 4 anos de idade. Nesta idade é comum as crianças gaguejarem, por estarem em um processo de aquisição da linguagem. 

• Nunca diga “para”, “pense”, “respire” ou “calma”. A criança não esta nervosa, ela esta gaguejando;
• Nunca complete as palavras para a criança;
• Não interrompa a fala da criança;
• Fale em uma velocidade confortável;
• Fale de forma mais pausada;
• Reduza o número de perguntas;
• Olhe nos olhos da criança, quando estiver falando;
• Balance a cabeça para indicar que esta compreendendo o que ela esta falando;
• Tenha um tempo a sós com seu filho para que ele tenha tempo de contar tudo.

FONTE Antonio Eduardo Rodrigues/Claudiana Ferreira Silva-fonoaudiólogos - iturama.apaebrasil.org.br - GRAZIE

OLHA SÓ O TAMANHO DO BURACO! É MAIS OU MENOS ASSIM O BURACO QUE FICA PÓS USO DE DROGAS EM NOSSAS MENTES E EM NOSSAS VIDAS! É PRECISO PREENCHER! É PRECISO PREENCHER.

Falei dia desses sobre saúde não ser apenas ausencia de doenças!

Bom! quanto a saúde vamos lá:

SAÚDE =  Estado dinâmico de completo bem-estar: FÍSICO, MENTAL, SOCIAL E ESPIRITUAL, não consistindo sómente na ausência de uma doença ou enfermidade.
Porque a abordagem do tema?
° Porque aproximadamente 5% da população mundial acima dos 15 anos de idade consomem algum tipo de substância ilícita.
° Porque o consumo de drogas, lícitas e ilícitas, tem aumentado mundialmente.
° Porque este é um tema atual, muito discutido em nossa sociedade e que interfere, direta ou indiretamente na qualidade de vida de todos nós.
O uso abusivo de substâncias psicoativas é uma atividade humana que envolve grande complexidade, pois inclui aspectos bilógicos, psicológicos, sociais, culturais, jurídicos, políticos, religiosos, etc.

Falei também sobre o "buraco das drogas"! o que seria isso?

Deixa eu discorrer um pouquinho mais sobre o assunto...........

Havia aquele tempo em que permanecíamos "chapados"; havia aquele tempo em que o efeito das substâncias passava e ficávamos "mal", alí, parados, sentindo auto-culpa, auto-piedade, mas ao mesmo tempo imaginando formas e fórmulas para arrecadar dinheiro "prá poder usar mais droga".

Depois, arquitetado devidamente algum plano mirabolante em nossa mente, partíamos prá ação efetivamente e aquilo tudo trazia muita adrenalina.

Hoje, em recuperação, trago comigo uma insatisfação que não passa! as coisas estão caminhando muito bem obrigado, e continuo insatisfeito.

Digo aos meus irmãos de caminhada, aos meus afilhados que quando começo a questionar comigo mesmo coisas como: nossa! metade do mês e já estou sem dinheiro! nossa! o cara troca de carro como quem troca de roupas e eu não consigo sair do meu poizézinho! nossa! tá tudo muito igual, nossa isso, nossa aquilo, uma luzinha de advertência começa a piscar em meu cérebro pois, sei que o motivo de toda essa insatisfação é a "vontade subentendida de usar substâncias"   .

Acredito que passados os "instantes iniciais" (primeiros meses) da continuidade da recuperação, a dependência física vai amainando, vai amenizando, mas permanece a dependência psíquica ou seja: meu cérebro quer sentir "aquele barato" novamente e vai fazer de tudo prá me enganar e fazer com que eu use novamente. (SÃO OS REGISTROS DE MEMÓRIA)

 

Então caminhando um pouquinho mais, a vontade se mascara de insatisfação resumindo a ópera.

A vontade não vem explícita como vontade de usar, vontade de beber, vontade de dar uma paulada! nossa (minha) doença é sutil, é traiçoeira e vai me pegar nas entrelinhas. 

Preciso buscar cada vez mais o auto-conhecimento, justamente para poder identificar tais situações.

É a auto-consciencia! me interiorizo cada vez mais (me volto para dentro de mim mesmo), me observo cada vez mais, e cada vez mais posso me (mapear), identificar os sentimentos e, principalmente o que está por trás dos sentimentos.

Meu! sempre faço questão de dizer que não sou Psiquiatra, não sou Psicólogo, apenas alguém que conviveu e usou muuuuuuuuuuuita substância grande parte da vida e, que através de minha experiência pessoal é que faço tais afirmações, que sei também não serem "regra absoluta", pois cada um de nós reage de maneira diferente aos mais diversos acontecimentos e problemas, mórmente se tratando do uso de substâncias.

Então, algumas coisas, sentimentos, sensações, vão amenizando e se tornando óbvias. Em torno aí do terceiro ano de recuperação, a maioria de nós começa a admitir que o "aborrecimento é aceitável".

O livro "Um suave caminho ao longo dos 12 passos" de Patrick Carnes-PHD diz que não temos mais que viver numa crise perpétua.

 

A maneira com a qual estávamos acostumados a viver era o caos; o caos era o modo de vida.

Resultado de imagem para gif animado caos

Hoje em recuperação, temos de trabalhar para possuirmos reservas de emoção, reservas físicas e espirituais (é nada mais nada menos do que o auto-conhecimento), para que quando as crises chegarem (e chegam com certeza), elas não nos afetem em demasia.

Apenas para complementar e elucidar, as reservas às quais me refiro são no sentido de sobra, algo guardado para ser usado na hora oportuna e, não as reservas que muitas vezes possuímos com relação ao programa, com relação a não praticar determinado passo, ou em relação a determinada substância etc, etc.

Uma reserva da qual vejo muuuuuuita gente recair (eu inclusive recaí dessa forma), é a reserva pela qual não tínhamos ou não temos problemas com o álcool.

Posso afirmar sem medo de errar que 90% das recaídas ocorrem em função de alguma reserva com relação ao álcool.

Nós então, gradativamente, vamos adquirindo o suporte de que tanto necessitamos. 

E prossegue: no entanto, é óbvio que nossas vidas não estão isentas de problemas (acredito que os problemas muitas vezes parecem tão "esmagadores" porque agora nós os enxergamos e, durante a ativa simplesmente os ignorávamos ou passávamos por cima feito rolo compressor).

A diferença é que agora possuímos a compreensão e as ferramentas do programa para evitar os antigos comportamentos autodestrutivos.

Galera! e o efeito espelho? já sentiu isso? tem um carinha no trabalho, no grupo, na escola que te incomoda muuuuuuito?

Cuidado! você pode estar experimentando o efeito espelho. Você enxerga na pessoa coisas que estão dentro de você, mas que você não gosta e, principalmente não admite; então tome crítica no companheiro, tome achar defeitos no outro.

Pode-se denominar também efeito macaco! ééééé, sento em cima do rabo e vou falar mal do rabo do outro pois assim desvio a atenção do meu. Algumas vezes isso é feito de forma inconsciente, outras nem tanto e é porisso que o auto-conhecimento, a auto-análise sincera e objetiva é tão importante.

 

Bom! mas afinal de contas o que tudo isso tem a ver com o uso de drogas?

Sempre gosto de salientar que estou refletindo apenas minhas opiniões, minhas convicções; tem a ver com o uso de drogas no sentido de que quando na "ativa" adquiri inúmeros, muitos defeitos de caráter mesmo e, que devo trabalhá-los em meu dia a dia, durante as 24 horas, a fins de eliminá-los ou ao menos deixá-los tipo a minha doença: sob controle-estacionada. (aliás tenho sempre desconfiança da afirmação de que a doença esteja estacionada.

O que está estacionado é o meu uso, mas acredito que a doença esteja atuando ainda nos mais diversos setores da minha mente que é o que controla meu organismo, meus pensamentos, minhas atitudes........)

A partir do momento em que volto a praticar alguns defeitozinhos de estimação, minha recuperação começa a correr perigo e, volto a insistir é nesse sentido que devo estar cada vez mais me auto-conhecendo para poder identificar tais situações.

Meus familiares, meus amigos, meus entes queridos e principalmente meu padrinho ou minha madrinha (meus/minhas), podem e devem auxiliar muito e colaborar para que eu possa me trabalhar cada vez mais e mais consistentemente e, para isso devo estar de mente aberta também constantemente, sem racionalizações, sem teorizações, lembrando que existe um programa, e que o programa funciona!

Mas funciona para quem é obediente, não tem nada a ver com gente inteligente.

(pode ser inteligente sim, mas tem que ser obediente). 

Dia desses falei sobre conhecer dezenas, centenas de adictos que hoje graças a um Poder Superior estão limpos, levando vidas produtivas UM DIA DE CADA VEZ, mas que durante a "vida ativa" da adicção só acumularam perdas.

Eu sou meu maior exemplo disso que digo.

O que posso afirmar concretamente, é que a adicção também é uma doença de exclusão, é uma doença em que o cidadão/cidadã se marginaliza, se coloca à margem da sociedade e por esse motivo sofre preconceito.

Mesmo aqueles/aquelas que entram num processo de recuperação, são vistos sempre com restrições, com reservas e com desconfiança. 

No post que "mandei" em 02 de Junho do ano que passou, citei chavões que pessoas mal informadas e ou preconceituosas vivem dizendo aos 4 cantos como por exemplo: uma vez drogado sempre drogado, uma vez vagabundo sempre vagabundo, pau que nasce torto........... e por aí vai. 

Quem poderá julgar? eu? você? não! apenas Deus pode julgar.

No mais, é o faça o que tú queres pois é tudo da lei. Ou EMA EMA EMA, CADA UM COM SEUS "POBREMA" (não é problema não).

 

 

HASTA LA VISTA BABY! AH! não esquece de dar uma clicadinha e visitar os sites de nossos parceiros.

  
 

  

 

A FARMÁCIA DO GENÉRICO EM JACAREZINHO PR.

E OLHA SÓ QUE LEGAL! VOCÊ NÃO PRECISA SE DESLOCAR ATÉ O CENTRO DA CIDADE PRÁ ENCONTRAR MEDICAMENTOS COM AQUELE PRECINHO ESPECIAL.