SITE DO BLOG SOBRIEDADE

PERDI TUDO QUE TINHA, SEI QUE FIZ MUITA BESTEIRA..

PERDI TUDO QUE TINHA, SEI QUE FIZ MUITA BESTEIRA..

 

 

MAS SE VOCÊ NÃO ACHAR MEU BOLSO DEUS....... POR FAVOR COLOQUE NA CARTEIRA!

BUENAS NOCHES GALERITA DEL BIÉN! 24 DE MARÇO DE 2.017!

Resultado de imagem para 24 de março dia mundial da tuberculose

TUBERCULOSE TEM CURA!

Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A data foi criada em 1982 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch.

Arte Bem Estar AVC (Foto: Arte/G1)

 

Aos amigos, amigas, colaboradores/as, seguidores/as, meu mais pronfundo e sincero abraço e, prá vocês só posso dizer: BRIGADUUUU E TAMO JUNTO!

Resultado de imagem para tamo junto

 

 

EI? JÁ BEIJOU TUA NAMORADA, TUA ESPOSA, TEU MARIDO, TEU FICANTE, TEU FILHO, TUA FILHA, TEU PAI, TUA MÃE HOJE?

AH NÃO? ENTÃO BEIJA O PORTUGUÊS DA PADARIA PELO MENOS! kkkkkkkkkk

Se eu fico aqui parado nesta bobeira sem fim

Logo, logo "os homi" vão estar atrás de mim
Você tá numa boa, é o dono do paraíso!
Então me empresta uns trocados, Deus, é só disso que
eu preciso!  Deus me dê grana! Camisa de Vênus-1986

A unidade humana pode se resumir a construção ativa da família. 

"A raça humana, é uma semana, do trabalho de Deus"

Gilberto Gil

E família........ bem! você sabe: A família é o elo de ligação entre o adicto e o mundo real! a família é o alicerce do Adicto em Recuperação e, como faço sempre questão de frisar, família nos moldes que tenha adquirido (pouco importa) se é papai, mamãe e filhinhos, mamãe, mamãe e filhinhos, papai, papai e filhinhos (só prá ilustrar).
Família é o ponto de referência, é o abrigo e o porto seguro e, é por isso que a família deve estar bem estruturada, ajustada, funcionando redondinha para que possa cumprir seu papel de base da pirâmide.
 
Todo mundo sabe que quando existe um adicto na ativa no seio da família, a "maionese tende a desandar" e, é por este motivo que os familiares devem se informar, devem buscar conhecimento para que o "vendaval" criado pelo adicto não venha a abalar a estrutura familiar e sim, com conhecimento e informação aliados à prática, fortalecer cada vez mais os laços e vínculos familiares.
Para que tudo isso aconteça, é preciso abandonar de vez a negação que nos caso dos adictos é aquela vozinha (no sentido de voz) que nos diz que não temos uma doença, que conseguimos controlar nosso uso, que paramos quando quisermos e, no caso dos familiares a negação vêm na forma de "cegueira", de não querer enxergar o que está ocorrendo, de pensar que é só uma má fase e que logo passará....... e outras mais ou menos votadas.
Já falei algumas vezes aqui mesmo no site, sobre esposas, mães, pais que querem minimizar as atitudes dos maridos, dos filhos, das filhas dizendo coisas do tipo: Ah! coitadinho, coitadinha, ele só está bebendo um pouco demais da conta ou, ah seu Benatti mas ele/ela só fuma maconha...... e por aí vai.
É o não querer enxergar realmente; amigos, afilhados que recaíram, e que contam a "lorota" geralmente para as mãe, mas também para os pais, namoradas, namorados, esposas, dizendo que por exemplo fumava pedra e agora está bebendo socialmente, coisas desse gênero.
Mãe! Pai! Namorada! Namorado! Esposo! Esposa! Irmão! Irmã! seja lá quem for........................... NÃO EXISTE ADICTO SOCIAL.
Uma vez instalada a dependência, é pro resto da vida.
E prestem atenção mais um pouquinho: até pode ser que o cidadão/cidadã não tivesse problemas com relação ao álcool, mas asseguro: vai ter.
Também já falei inúmeras vezes e, falo para quem quiser ouvir apesar dos teóricos de plantão muitas vezes não concordarem, que o ÁLCOOL é o estopim, é o gatilho. Como?
Suponhamos que seu/sua ente querido tivesse problemas com a cocaína! ao ingerir por exemplo uma, duas, treis cervejas, vai ser fatal que mais algumas e ele ou ela irão à biqueira buscar sua substância de preferência (só esclarecendo prá quem não sabe, biqueira é o local onde se vendem drogas).
Já falei também algumas vezes, de afilhados, amigos e amigas que conseguiram parar por exemplo com o crack, mas não acreditaram que também possuíam a dependência do álcool, e percorreram a mesma via-crucis que haviam percorrido anteriormente, inclusive alguns (não foi um nem dois) que tiveram de se internar novamente em clínicas de recuperação, desta vez para combater o alcoolismo.
Para o adicto em Recuperação, a abstinência total de qualquer substância que possa alterar seu humor e sua forma de pensar é o que há. Nada mais.
Vivo dizendo também aos quatro cantos que vejo muita gente alardeando que está há X dias limpo, ou Y dias limpo, mas que continua com as mesmas atitudes que praticava quando estava na ativa; mentira, manipulação, desonestidade, orgulho, vaidade e por aí vai........
Para estes que não se preocupam em cumprir a programação, trabalhar os passos, romper com o passado e se transformar um dia de cada vez em uma nova pessoa, tenho uma péssima notícia: tua abstinência não vai durar muito não. SÓ LAMENTO!
Falo sempre de minhas experiências, de meu modo de viver e, de experiências compartilhadas por outros adictos assim como eu e, posso garantir que se não houver transformação, não se sedimentará o processo de recuperação.
Possuímos uma doença que é progressiva, incurável e fatal e, que apesar de estarmos nos abstendo de substâncias, continua agindo em todos os setores de nossas existências, porisso é tão fundamental o trabalho do dia a dia (as 24 horas).
As duas principais características de nossa doença são: a OBSESSÃO e a COMPULSÃO que podem tranquilamente debandar para outros setores de nossas vidas, causando atitudes inadequadas que reverberam em nossos espíritos e que, futuramente podem nos induzir ao uso de substâncias novamente.
A obsessão é definida pelas literaturas especializadas como "aquilo/aquela força" que nos leva sempre de volta à nossa droga de preferência e, a compulsão é o querer sempre mais, não se satisfazer com uma parte, estar sempre insatisfeito com a parte que lhe toca.
É familiar esse sentimento para alguém? prá mim é, e muuuuuuuuuuito.
O que faz de mim um adicto, é a forma como reajo às substâncias e não quantidade ou tipo de substância.
E olhem que interessante: temos um programa que funciona e, que nos sugestiona a mudar a nós mesmos ao invés de tentar modificar os outros e os acontecimentos ao nosso redor.
Então é a "bendita" mudança da qual falei e tanto falo pois, se não houver mudanças, não haverá esperanças.
Um dia acreditei que drogas poderiam resolver meus problemas! esqueci tudo o que elas haviam feito contra mim! resultado................. recaída!
Primeiramente no modo de agir..... persistência nesse modo negativo e....... um pouquinho mais de negatividade e pronto: lá estava eu prontinho para fazer uso de substâncias novamente.
É aquilo que vivo alardeando também: a recaída é apenas consequência de uma inexistência de programação diária, ou de programação mal trabalhada.
O uso de substâncias (a recaída) é apenas o final do processo.
Hoje sei que possuo uma doença, não um desvio moral, não sou um ET apesar de muita gente que não me conhece ficar "me olhando com cara de viado que viu o caxinguelê quando digo que não bebo por exemplo".
Só prá finalizar galera, o usuário torna-se dependente e necessita de tratamento e, os familiares dentro do processo de co-dependência também adoecem e por esse motivo também necessitam de "tratamento". 
Esse "tratamento" visa fortalecer o co-dependente para que aja adequadamente tornando-se assim como salientei no começo do post, no ponto de referência, no porto e abrigo seguro para o dependente.
"Todas as famílias que são felizes são iguais, mas cada família que é infeliz, o é à sua própria maneira". LEON TOLSTÓI
Depois do Camisa de Vênus e Leon Tolstói, só me resta dizer: 

A FARMÁCIA DO GENÉRICO EM JACAREZINHO PR.

E OLHA SÓ QUE LEGAL! VOCÊ NÃO PRECISA SE DESLOCAR ATÉ O CENTRO DA CIDADE PRÁ ENCONTRAR MEDICAMENTOS COM AQUELE PRECINHO ESPECIAL.

EM JACAREZINHO GLOBO AM.1550 BOTA AMIZADE NISSO!!!!!